Sistema que gera energia através da luz solar ganha adeptos em MG

Só no Sul de Minas, 66 pedidos de instalação estão em análise. Mini-usina gera energia para casa e ainda permite venda de excedente.

solar_interna.jpg

Com o preço da conta de luz cada vez mais alto, muita gente já começa a correr atrás de alternativas para economizar. Entre elas, está o sistema de captação fotovoltáica, que é a geração de energia através de placas da luz solar. A instalação do equipamento ainda é cara, custa cerca de R$ 20 mil, mas traz resultados para quem faz o investimento. Essas pessoas ainda podem vender o excedente do que é gerado para as concessionárias de energia elétrica, como a Cemig. Em troca, elas recebem créditos na conta de luz.

Em Minas Gerais, mais da metade dos pedidos de consumidores para receber esse benefício parte do Sul de Minas. Depois de transformar a luz em eletricidade, as placas fotovoltaicas conduzem a energia para uma peça que distribui a corrente por toda a casa. Por dia são gerados cerca de 2.350 wats e o restante é repassado à Cemig.

"Esse excedente que se tem, que é um valor razoável, vai sair como um bônus. Ele está conectado à toda rede de distribuição da cidade. Seria uma mini-usina, uma micro-usina, onde ela está fornecendo energia mesmo abastecendo, contribuindo para um uso menor da energia proveniente dos rios, das hidreléticas, reduzindo as perdas no sistema", disse o professor de física Joaquim Paulo Silva.

Na casa do comerciante Maurício Vilela, a primeira conta de luz após a instalação do sistema caiu de R$ 223 para R$ 135, mesmo com a família consumindo mais energia elétrica. A casa dele é a única da cidade que utiliza o sistema de energia elétrica a partir da luz do sol, já que o custo é alto.

"É um investimento alto, mas vale a pena. A curto prazo, eu vou recuperar o que eu gastei", disse o comerciante.

A peça responsável pela geração de energia é de fabricação sueca e a maioria das placas é produzida na China. A falta de indústrias no Brasil para a produção do equipamento faz com que o sistema fique caro. Além disso, é preciso fazer um contrato com a companhia de enegia elétrica, que transforma essa sobra de energia em créditos para o cliente.

Atualmente em Minas Gerais, 128 pedidos aguardam a liberação da companhia de energia elétrica para a instalação do sistema. Mais da metade, 66 pedidos, são do Sul de Minas. Um deles é do Instituto Gammon, em Lavras. A instituição resolveu usar placas fotovoltaicas como fonte de energia elétrica com o objetivo de reduzir a conta de luz que custa em média R$ 7,5 mil. Ao todo serão mais de 300 placas em um investimento de R$ 400 mil.

"Nós temos vários cursos que demandam computadores e outros equipamentos ligados o dia todo. A instalação dessas placas vai nos reduzir e muito, o pagamento de energia elétrica", disse o gerente de apoio educacional da instituição, Diego Nascimento.

Em todo o Brasil, cerca de 700 imóveis já contam com esse sistema que converte a energia solar em energia elétrica. Os consumidores da Cemig que se interessarem nesse sistema devem entrar no site da concessionária para conferir a documentação necessária. Já no caso de Poços de Caldas (MG), onde a energia é gerada pelo Departamento Municipal de Eletricidade (DME), o consumidor interessado deve entrar em contato pelo número 0800-035-0196.

Para assistir a essa reportagem clique abaixo:

Sistema que gera energia através da luz solar ganha adeptos em MG

Fonte: Jornal da EPTV, afiliada da Rede Globo, de 05/08/2015

R. Artur Simões Ramalho, 120, São Cristovão - Gov. Valadares - MG +55 (33) 3221-4502 / 8440-8080This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.